Portabilidade pode ser uma boa opção para reduzir juros e taxas de financiamentos

Muitas pessoas não sabem, mas é possível fazer a transferência de um empréstimo ou financiamento de um banco para outro, a chamada portabilidade de crédito.

O atual momento econômico pode favorecer essa avaliação, já que as taxas de juros variam muito entre os bancos e a mesma instituição financeira pode adotar diferentes taxas por algum período. Entretanto, como em qualquer decisão financeira, existem alguns aspectos que devem ser levados em consideração. Fique atento e aproveite as oportunidades.

destaque_dinheiro

O que é a portabilidade para o consumidor?

A portabilidade de crédito é a possibilidade de transferir uma dívida de uma instituição financeira para outra. A ação é feita pelo devedor (pessoa física ou jurídica) e estimula a concorrência entre bancos. O consumidor é automaticamente beneficiado uma vez que ganha o poder de negociar taxas de juros mais baixas.

Quem pode fazer a portabilidade?

O consumidor pode fazer a portabilidade de qualquer tipo de empréstimo, desde um simples crédito pessoal até o financiamento de um imóvel. Entretanto, é importante ressaltar que um banco não é obrigado a receber (ou comprar) a dívida de uma outra instituição financeira. Por isso, informe-se antes sobre quais bancos estão disponíveis para a negociação e avalie as propostas de cada um deles.

Que indicadores devo considerar na minha avaliação?

Em primeiro lugar, avalie se a taxa de juros cobrada nos financiamentos imobiliários oferecidos por outros bancos é menor do que a que você paga no empréstimo atual. Em seguida, compare o Custo Efetivo Total (CET) de cada operação. Essa comparação permitirá você avaliar todos os custos do financiamento, incluindo os seguros obrigatórios.

E, finalmente, mas não menos importante, confira se o valor da parcela do novo banco ficará menor do que o custo da prestação no banco atual. Normalmente, os financiamentos utilizam o Sistema de Amortização Constante (SAC) em que o valor da primeira prestação costuma ser mais alto do que as demais parcelas ao longo do tempo. Dito isso, fique atento ao receber a proposta de um financiamento com CET menor já que a prestação inicial pode sufocar seu orçamento.

Existe alguma restrição para a realização da portabilidade?

O valor e prazo da nova operação contratada, para fins da portabilidade, não pode ser superior ao valor do saldo devedor e ao prazo remanescente da operação original a ser liquidada.

Custos extras

Ao fazer a portabilidade de crédito, lembre-se que existirão custos adicionais como a emissão de um novo contrato e a declaração da portabilidade no Cartório de Registro de Imóveis. Não seja pego de surpresa!

Onde encontrar mais informações?

Ficou interessado no tema, mas ainda ficaram algumas dúvidas? O Instituto de Defesa do Consumidor (IDEC) preparou uma série de informações que podem ser muito úteis na tomada de decisão final. Outra dica é sempre solicitar uma simulação detalhada junto a instituição financeira de interesse e buscar o auxílio de um especialista antes de qualquer decisão definitiva.

 

Faça bom uso dessas informações e aproveite o momento favorável para a aquisição de imóveis.

Fontes: Banco Central do Brasil e Instituto de Defesa do Consumidor (IDEC).

Leia mais:

Sobre o autor

1 Response

Deixe um comentário