Organização pode ser o primeiro passo para sair do sufoco financeiro

Contas atrasadas, gastar mais do que se recebe, juros exorbitantes. Quando a situação financeira sai do controle é preciso repensar a rotina e retomar as rédeas do orçamento.

Medidas simples e organização parecem sugestões óbvias, mas, realmente, são o caminho mais curto para reduzir despesas e sair do vermelho. Confira algumas dicas a seguir:

Comprometimento familiar

Se a regra é economizar, o importante é ter a adesão de todos os moradores da casa. Seja transparente no alinhamento das expectativas e promova a importância do esforço coletivo.

Invista na economia doméstica

Defina metas para diminuir o consumo de água, luz, gás, telefone.

Evite desperdício e dê preferência para as lâmpadas frias. Além de maior durabilidade, elas dissipam menos energia em forma de calor e geram economia de até 80% em comparação com as incandescentes.

Deixe para usar a máquina de lavar apenas quando a capacidade completa estiver preenchida. Se não puder esperar, escolha ciclos de lavagem mais curtos sempre que possível.

Ao usar o ferro elétrico, acumule grandes quantidades de roupa para passa-las de uma só vez.

Não gaste antes de receber

As compras a prazo são um dos maiores inimigos da gestão financeira pessoal. Realizar compras antes de receber o dinheiro diminui as chances de planejar corretamente o seu orçamento, além de aumentar o risco de se gastar mais do que realmente deveria.

Faça o exercício de esperar o salário para quitar as despesas principais e evite ficar “preso” muitos meses a uma mesma dívida. Se for inevitável o parcelamento, tente reduzir o tempo das parcelas.

E o principal: sempre que possível, dê preferência para as compras à vista! Reduza custos e faça valer o seu poder de negociação.

Avalie sua despesa real

Fique atento aos comportamentos que levam ao endividamento. Se, frequentemente, você chega ao final do mês sem dinheiro ou sempre precisa de empréstimos, seus gastos não estão acompanhando os seus recebimentos.

Nesse caso, o primeiro passo é frear esse comportamento para que possa reverter a situação com as outras dicas citadas acima. O acúmulo de dívidas desencadeia muitos outros fatores que vão além do consumo como, por exemplo, ansiedade, conflitos de relacionamento e estagnação pessoal.

Registre seus gastos

Ao invés de perguntar para onde o dinheiro foi, que tal registrar cada passo da sua movimentação financeira pessoal?

Se você não é muito adepto de planilha, aproveite a tecnologia a favor da sua necessidade e faça bom uso dos aplicativos para esse objetivo, são muitas as possibilidades gratuitas.

 

Em um mundo está cada vez mais consumista, a pressão por “ter” é muito grande. Desacelere e faça uma reflexão sincera sobre sua vida na perspectiva das necessidades, qualidade e projetos futuros. Tome decisões conscientes e bem informadas sobre cada compra que você precisa fazer.

Gostou das dicas? Então não se esqueça de compartilhar!

Sobre o autor

Deixe um comentário