É hora de aproveitar a queda dos juros do crédito imobiliário

Nesta segunda-feira (16), o esperado anúncio da Caixa Econômica Federal sobre a redução de suas taxas de juros do crédito imobiliário foi divulgado. Até então, o banco estatal era o único entre os cinco maiores do país com juros acima de 10%.

Com a medida, as taxas mínimas passaram de 10,25% para 9% ao ano no caso de imóveis dentro do Sistema Financeiro de Habitação (SFH) e de 11,25% para 10% para imóveis enquadrados no Sistema de Financiamento Imobiliário (SFI).

Taxas congeladas há 17 meses Novas taxas
Sistema Financeiro de Habitação (SFH) a partir de 10,25% ao ano + TR* a partir de 9% ao ano + TR*
Sistema de Financiamento Imobiliário (SFI) a partir de 11,25% ao ano + TR* a partir de 10% ao ano + TR*
Linha pró-cotista Sem alteração

* TR = Taxa Referencial, que também corrige a poupança.

Imóveis residenciais de até R$ 800 mil se encaixam no SFH para todo o país, com exceção do Rio de Janeiro, São Paulo, Minas Gerais e Distrito Federal em que o limite é de R$ 950 mil. Os demais imóveis residenciais acima dos limites do SFH, já estão no SFI.

Além da redução dos juros, o banco anunciou melhorias nas condições de financiamento de imóveis para pessoa física. A partir de agora, o limite de cota de financiamento do imóvel usado subiu de 50% para 70% e o financiamento de operações de interveniente quitante (imóveis com produção financiada por outros bancos) foi retomado com cota de até 70%.

A medida favorece as operações do mercado imobiliário e traz novas oportunidades para os clientes que desejam financiar seus imóveis. Desde que o Banco Central (BC) cortou a Selic (taxa básica de juros) para a mínima histórica, os outros bancos privados já haviam reduzido suas taxas de juros. Atualmente, o Itaú opera com porcentual a partir de 9%; Banco do Brasil, 9,24%; Santander, com 9,49%; e Bradesco, a partir de 9,45%.

Com um cenário que reforça a recuperação econômica, queda de juros e expansão de crédito, a demanda por imóveis deve crescer. Por isso, a hora é agora de aproveitar as boas notícias e o excelente momento para realizar bons negócios! Mãos à obra!

Fonte: Governo do Brasil, com informações da Caixa Econômica Federal

Leia mais:

Sobre o autor

Deixe um comentário